Dados sobre o tabagismo

 

Existem 1,1 bilhão de fumantes no mundo consumindo cerca 

de 6 trilhões de cigarros por ano.

No Brasil existem 30,6 milhões de fumantes acima dos 15 anos de idade.

70% adquirem o hábito de fumar entre os 14 e 17 anos.

A cada ano mais de 5 milhões de pessoas morrem em todo o mundo em decorrência de doenças associadas ao fumo.

No Brasil morrem 200 mil pessoas por ano de doenças relacionadas diretamente ao fumo. Dos 35 aos 69 anos, 1/3 das mortes do mundo é relacionado ao fumo, que rouba em média 22 anos de vida dos fumantes.

90% dos casos de câncer do pulmão, 30% de todos os outros cânceres, 85% das doenças pulmonares obstrutivas (enfisema e bronquite) e 50% das doenças cardiovasculares estão associados ao fumo. Das 4.720 substâncias contidas no cigarro cerca de 60 a 70 são cancerígenas.

A probabilidade dos homens fumantes se tornarem sexualmente impotentes é duas vezes maior do que naqueles que não fumam - pesquisa realizada pela Universidade de Boston.

Nas fumantes a menopausa se antecipa cerca de 5 anos.

O fumante passivo tem um risco 30% maior de morrer por doença cardiovascular ou câncer de pulmão do que quem não está exposto diariamente à fumaça de cigarro.

A nicotina é a grande responsável pela sensação de impacto eufórico que se segue a uma tragada. Bastam 7 a 8 segundos para o fumante sentir seus efeitos estimulantes. A quantidade de nicotina de apenas um cigarro é suficiente para matar uma pessoa se for injetada na veia.

Os teores de nicotina nos cigarros brasileiros são duas a três vezes mais do que o necessário para gerar dependência. Números internacionais informam que o consumo do cigarro está caindo nos países do hemisfério norte, a uma proporção de 1,5% ao ano, e subindo, na mesma proporção, no hemisfério sul. 

Fontes: INCA;
  Dr. José Rosemberg;
  www.library.ucsf.edu/tobacco

 

 

 

Datas Comemorativas Importantes - Clique aqui